Luz Natural: Direção da Luz

Luz Natural: Direção da Luz

Última atualização:

Para ajudar a completar o conhecimento sobre luz natural hoje falaremos sobre a direção da luz.

Então se você não viu os artigos anteriores sugiro que comece por aqui:

Luz natural: Qualidade da luz

Luz natural: Entendendo a cor da luz

Trabalhando com Luz naturalEntendendo a direção da luz

Nesta terceira parte você irá aprender

  • Como controlar a direção da luz natural
  • Entender como a direção da luz pode afetar suas fotos
  • Como manipular a cor da luz para criar profundidade
  • Como usar rebatedores

Muitas pessoas acreditam que trabalhar com iluminação artificial é a melhor solução de todas, sempre usando a premissa de que podem controlar totalmente o comportamento da luz.

Quanto você trabalha com luz natural, iluminação natural, sua capacidade de controlar a iluminação é bem limitada, e isto é verdade.

Porém não é impossível criar boas imagens com iluminação natural ou até mesmo usando um pouco de cada, natural e artificial.

E para que isto aconteça é necessário um bom planejamento para suas fotos com luz natural.

Luz frontal

Luz frontal, ou iluminação frontal, refere-se a luz que vem diretamente na frente do que você está fotografando, ou seja, a fonte da luz está atrás do fotógrafo.

Neste tipo de iluminação temos que tomar cuidado para não superexpor o assunto que está sendo fotografado, e também tomar cuidado com a quantidade de detalhes que queremos. Pois com a luz nesta direção é muito fácil perdermos detalhes na foto, pois a luz não cria contraste o suficiente. 

Podemos usar uma série de lugares e situações para criar mais controle sob este tipo de direção da luz, basta ter em mente como podemos manipular a  mesma. Uma fachada de um prédio de vidro que reflete muita luz, paredes claras, ou até mesmo a porta da garagem de casa podem ser usadas para criar ótimas imagens com este tipo de luz.

Ótimas opções para controlar qualquer tipo de luz, seja ela natural ou artificial, são os rebatedores, veja mais para o final do artigo, pois além de te ajudar a controlar a direção da luz também podem te ajudar a controlar a intensidade, bloqueando para da luz que você tiver disponível.

Prós: iluminação frontal normalmente irá iluminar a face do objeto de maneira uniforme, sem sombras.

Ela vai criar um olhar estético e equilibrado, razão pela qual esta configuração é muito popular na fotografia de moda.

Contras: A falta de sombras que este tipo de iluminação produz cria pouca profundidade e pouco drama na imagem.

Iluminação 45 graus 

Como o nome sugere, este refere-se a uma situação em que a luz vem em um ângulo de 45 graus.

Este é um sistema de iluminação muito popular na fotografia, principalmente para quem faz retratos, e por muitas vezes é chamada de iluminação Rembrandt. Uma clara homenagem ao pintor holandes. 

Ele pode ser facilmente alcançável com luz lateral vindo de um sol nascente ou poente, ou posicionando seu modelo em um ângulo de 45 graus para uma janela. Este tipo de iluminação é uma das mais usadas quando queremos fotografar algo com um pouco mais de personalidade e drama quanto a iluminação e é um dos grandes pilares de iluminação para retratos. E dependendo da situação produz um clima muito mais apropriado para certos tipos de retratos.

Um clássico exemplo deste tipo de iluminação é a presença de um triângulo de luz em em um lado do rosto da pessoa sendo fotografada. Isto ajuda a criar volume no rosto e melhorar os contornos da face. 

Prós: Nesta configuração de iluminação, você vai notar como a luz ilumina o rosto de seu assunto de forma gradual. Criando também uma sombra gradual, e com isto dando volume e profundidade à foto. Essa é a razão desta configuração ser tão atraente aos olhos da maioria dos espectadores.

Contras: O efeito dramático criado pelas sombras pode não ser adequado em algumas fotos de forma a não contar uma estória visual.

Iluminação 90 graus

Como o nome sugere, este tipo de iluminação refere-se a uma situação em que a luz vem de um ângulo de 90 graus a partir do objeto a ser fotografado.

Ela pode ser obtida com luz lateral vindo de um sol nascente ou com uma configuração de posicionamento onde o objeto fica em um ângulo de 90 graus para uma janela, por exemplo.

Este tipo de iluminação tem muita personalidade e cria um contexto todo próprio, como se o que está sendo fotografado está indo de encontro a luz, ou saindo dela. 

Direção da Luz

Prós: efeito extremamente dramático, que é quase impossível de ser ignorado.

Contras: Por se tratar de um esquema de iluminação bem dramático, temos que tomar cuidado extra em relação ao que está sendo fotografado, pois às vezes a cena pode se tornar assustadora.

Tudo depende, é claro, sobre o que você quer evocar em sua história visual.

Luz por trás ou Backlighting

Isso se refere a uma situação onde a luz vem de trás do objeto, e você, fotógrafo, está de frente para a fonte de luz. Este tipo de iluminação é super poderoso pois cria um contexto visual muito forte. 

Este tipo de iluminação não é apenas usado para retratos e pode ser visto muito em fotografia de paisagens, por exemplo. 

Em retratos este tipo de iluminação podem ser usadas em fotografia documental , e mesmo em retratos mais abstratos onde a intenção é descrever o sentimento do momento mais do que o que está sendo fotografado. 

Prós: Backlight irá criar destaques nos contornos do seu assunto, e ao contrário com iluminação frontal, isso irá criar uma sensação de profundidade, e uma separação clara entre o objeto e o fundo.

Neste tipo de esquema de iluminação temos que tomar cuidado com a quantidade de luz que teremos disponível. Muitas vezes temos luz demais o que pode atrapalhar a exposição correta da foto.

Enquanto a superexposição pode ser boa para a criação de um fundo mais amplo a subexposição normalmente irá resultar em uma silhueta agradável (como acima)

Contras: Como mencionado, este é um pouco mais avançado para lidar com este tipo de iluminação, mas novamente, uma grande oportunidade para alguma fotografia criativa.

Iluminação superior

Isso se refere a uma situação onde a luz vem diretamente acima da cabeça, como durante o meio-dia. É um tipo de luz que é muito difícil de ser usada, mas não é impossível. Quando temos poucas nuvens no céu este tipo de luz pode ser usada para criar imagens com bastante contraste tonal, pois irá te ajudar a criar sombras bem definidas. 

En retratos teremos que sempre ficar atentos a direção da luz pois ela nos ajudará a contar melhor a história de cada foto. 

Prós: o melhor exemplo visual para este tipo de iluminação é uma sala de interrogatório, será um tipo de iluminação muito bacana para criar drama e alguma sensação de suspense na imagem. Porém este tipo de luz pode ser usada com inteligência e ainda criar ótimas imagens. 

A luz que vem de cima irá resultar em sombras profundas no rosto do seu assunto, fazendo com que a testa projete sombra sobre os olhos e que o nariz projete sombra sobre o queixo. E se a luz for um pouco mais difusa ela pode criar um ultimação muito mais agradável e simples.

Levando este tipo de iluminação ao extremo, premiado com o Oscar de diretor de fotografia Gordon Hugh Willis, fez um trabalho inovador no filme de Francis Ford Coppola, The Godfather, com a combinação de subexposição e posicionamento da fonte de iluminação acima dos atores.

Ele conseguiu suportar a sensação escura e misteriosa deste filme, com o público incapaz de ver a maioria dos olhos durante todo o filme.

Contras: Se usado corretamente este tipo de iluminação pode ser um divisor de águas em suas fotografias. Caso contrário, parecerá que seu modelo irá te responder algumas perguntas.

Controlando a luz natural

Básico: Para fazer boas fotografias com luz natural uma coisa que você não pode nunca deixar de lado é o planejamento.

Escolha sempre o momento certo para e o local certo para fazer suas fotos, pois o sol não vai te esperar.

Não se esqueça que você também deve mudar seu assunto de posição de forma a controlar a quantidade de luz natural assim como a qualidade da luz.

Avançado: Você pode controlar a luz natural quase como controlar a iluminação artificial, com a ajuda de refletores, rebatedores ou bandeiras.

Refletores, ou rebatedores são utilizados para rebater a luz no rosto do sujeito.

Direção da Luz

Por exemplo, se você está lidando com a luz que vem de cima, você pode superar o problema de olhos escuros, iluminando-os usando um rebatedor. Ou até mesmo iluminar um lado do rosto usando apenas a luz proveniente do rebatedor, no caso dos esquemas de iluminação a partir de um ângulo de 45 ou 90 graus.

Direção da Luz
Direção da Luz
Você pode ver o reflexo do rebatedor usado para rebater a luz de volta para o rosto deste homem.

Uma bandeira é geralmente um pedaço de tecido preto que pode ser usado para bloquear a luz indesejada e criar sombras (sombras significa uma sensação de profundidade) no rosto do sujeito.

Direção da Luz

Para usar uma bandeira corretamente, você vai precisar de alguém ou algo que possa segurá-la.

A luz natural não é nem um bicho de 7 cabeças assim como também não é a salvação da lavoura, é apenas mais um fonte de luz que temos disponível para fazer nossa fotografia. Um bom fotógrafo estuda como a luz se comporta independente da fonte que a produz. 

Saber lidar com a direção da luz e trabalhar com ela de forma a produzir fotos melhora é uma meta diária. E também um desafio que temos que superar todos os dias. Independente dos exemplos que citei aqui no artigo, você pode se sentir livre para experimentar, misturar mais de um tipo de luz para trazer o que você tem em mente para a vida.

E aí o que acharam do assunto Direção da Luz? Deixem aqui nos comentários!

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Leia Mais
5 maneiras de usar cópias virtuais no Lightroom
5 maneiras de usar cópias virtuais no Lightroom